Grid

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Panados de frango com lima e gengíbre | Crumbed chicken fillet with lime and ginger

Há receitas que são tão, mas tão simples que me questiono se vale a pena pôr no blog. Esta é uma delas e a resposta óbvia é... claro que sim!

Some recipes are so simple that I question myself if they should be in the blog. This is one of those and the obvious answer is: of course!



Os bifes de frango ficam extremamente tenros e suculentos. O tempero de lima e gengibre fresco combinam na perfeição. O panado é muito estaladiço. Enfim, uma delícia.

The chicken fillets are extremely moist and suculent. The seasoning of lime and fresh ginger are a perfect match. The crumb is amazingly crunchy... simply delicious.


Nem só de receitas elaboradas pode viver um blog. Afinal, o dia-a-dia é feito de receitas simples...

*****


Panados de frango com lima e gengibre | Crumbed chicken fillet with lime and ginger

Para quatro pessoas | Serves 4

Dois peitos de frango, cortados em bifes finos | 2 chicken breasts cut into fillets
Sumo de uma lima | 1 lime, juiced
Um pedaço de gengibre fresco | 1 chunk of fresh ginger
Sal | Salt
Pimenta | Pepper
Dois ovos | 2 eggs
Farinha | Flour
Pão ralado | Crumbed bread
Óleo para fritar | Oil

Com pelo menos uma hora de antecedência, temperara os bifinhos com sal, pimenta moída no momento, o sumo de lima e o sumo do gengibre, previamente ralado e espremido. Alinhar três pratos de sopa, um com farinha, outro com os ovos inteiros e bem batidos e o terceiro com o pão ralado. Passar os bifes primeiro pela farinha, depois pelo ovo e por fim pelo pão ralado. Fritar num dedo de óleo bem quente. Eu servi com massa com molho de tomate e basílico.

One hour before start cooking, season the fillets with salt, freshly ground pepper, lime juice and ginger (grated and squized, juice only). Line 3 dishes, one with flour, other with the whole eggs, beaten, and the third with crumbed bread. Cover the fillets with the flour, then with the egg and finally with the crumbed bread. Fry in a pan covered with about 1 cm. of hot oil. I've served them with pasta, tomato sauce and fresh basil.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Um fim-de-semana na aldeia

Estive para aqui a escrever um grande relambório para contar como a minha vida é ocupada e como ando exausta. Escrevi e apaguei, escrevi e apaguei... é que de facto, não vale a pena escrever sobre o óbvio. Como ter tempo neste mundo retorcido onde o Homem é capaz de inventar a tecnologia para lhe melhorar e facilitar a vida, mas não é capaz de perceber que ele próprio não é uma máquina (inorganicamente falando) e que esta velocidade a que todos vivemos não é sustentável? Como ser capaz de abrandar, de apreciar a vida, de saborear o momento, de criar, de fazer algo diferente ou, pura e simplesmente, de não fazer nada? É difícil. Mas é possível.

Há quase dois anos que eu e o André não fazíamos uma pausa, não tirávamos uns dias apenas para nós, sem fraldas, sem sopas, sem guerras com trabalhos para casa, sem casa em polvorosa, sem stress de manhã, à tarde e à noite... no último fim-de-semana tirámos. Fomos para perto, para muito perto, e ainda assim pareceu-nos tão longe do tempo e do espaço a que estamos habituados.

Foi aqui.
 
 


Uma aldeia pacata, toda recuperada. Uma sensação de enorme conforto, apesar do vento inclemente. Pão fresco à porta de manhã, um pequeno-almoço preparado à moda antiga, em cafeteiras e leiteiras de alumínio. 


Um almoço de petiscos minuciosamente preparados na 'tasquinha' da aldeia. Ler, ler, ler. Demasiado frio e demasiada chuva para irmos jantar onde quer que fosse, então o queijinho, o presunto e a garrafa de vinho que nos lembrámos de levar, just in case.


Um rasgo de sol a permitir algumas fotografias.


Como se chama, afinal? Aldeia da Mata Pequena, bem perto de Mafra.


sábado, 1 de fevereiro de 2014

Sopa de tomate à alentejana | Tomato soup with poached eggs



Para a edição de Fevereiro do Dia Um... na Cozinha, há que levar uma sopa (sem carne, ou peixe, ou mariscos, mas onde os ovos são permitidos, entre outros ingredientes). E eu fiz uma das minhas favoritas, o miminho que a minha mãe me prepara quando vou a Évora... a bela sopa de tomate à alentejana!

For the February edition of Dia Um... na Cozinha, we must bring a soup (meatless and seafood-less, but that can be enriched with eggs or other ingredients). I made one of my favourite soups, the one that my mom makes me when I go spend the weekend with her in Évora: a perfect tomato soup with poached egg, a magnificent recipe from Alentejo.


Esta não é propriamente a tradicional, em que o refogado é feito no 'pingo' do toucinho e do chouriço, mas feita com um bom azeite não lhe fica a dever rigorosamente nada. É obviamente melhor quando feita com tomate de verão, mas este ano não os congelei por isso os de estufa tiveram que servir. O tacho de barro é opcional, mas eu cá não o dispenso nestas ocasiões. O pão para as "sopas" deve ser alentejano e já com uns dias, mas eu só tinha do de Mafra, que serviu o propósito. O tempo para o ovo tem que ser ao gosto de cada um, mas para mim tem que ser com a clara cozinhada e a gema líquida, senão não tem piada nenhuma.

Well, this isn't 100% made the traditional way, where you must start by frying the fat part of bacon and sliced bits of sausage (chorizo) and use that fat to fry the other ingredients. This one is made with good quality olive oil and it is equally delicious. 
The result is better when we use summer tomatoes, but as I failed to freeze some this year, I had to buy them now and they are not as flavoursome. Using a clay pan is optional, but if you have one this is a good oportunity to use it. The bread should be from Alentejo, but I only had bread from Mafra which did the trick. A dense rustic bread is the ideal for this recipe, and the staler, the better. 
The way you cook the egg depends, of course, of your preference, but I like mine with the white just cooked and with a very soft yolk. I can't imagine eating it any other way and I get furious with myself when it overcooks...



Como bom prato alentejano que se preze, deve ser feita com tempo, em lume muito brando, para que os sabores apurem bem. Provar, provar, provar, ir rectificando os temperos, dar-lhe bastante atenção... enfim, aquela dose extra de carinho que os bons ingredientes precisam e que os Alentejanos sabem dar aos cozinhados como poucos.

As any good dish from Alentejo, this recipe should be cooked slowly, taking its time, in a very low fire to get the most of the flavours. Keep tasting and check seasonings frequently... you really have to nurture this soup for best results. This is the secret of the cuisine from Alentejo and it is something worth respecting and preserving.


E aqui fica a minha sopa de tomate favorita. Espero que gostem.
There you go: my favourite tomato soup. Enjoy!



Nota: depois de ver a receita, a minha mãe disse-me que me esqueci de acrescentar um copo de vinho branco a meio da cozedura. Vou corrigir! Obrigada mãe!

Remark: after seeing the recipe, my mother told me I forgot to add a glass of white wine during the process. I'm changing the recipe accordingly. Thanks mom!

*****

Sopa de Tomate à Alentejana | Tomato Soup with poached egg

Para quatro pessoas | Serves 4

Dois quilos de tomates maduros | 2 kg ripe tomatoes
Quatro cebolas médias | 4 onions, medium size
Um pimento verde, grande | 1 large green bell pepper
Azeite | Olive Oil
Seis dentes de alho | 6 garlic cloves
Sal | Salt
Pimenta em grão | Peppercorns
Um ramo de salsa | Parsley
Duas folhas de louro | 2 laurel leaves
Um copo de vinho branco | 1 glass white wine
Açúcar q.b. | Sugar
Um ovo por pessoa | 1 egg per person

Mergulhar os tomates em água a ferver durante dois minutos, passando-os em seguida por água fria. Pelar e partir em pedaços grossos, tirando as sementes. Gosto de fazer este processo sobre um passador de rede para um recipiente, de modo a aproveitar para a sopa o máximo de sumo libertado pelos tomates. Descascar as cebolas e cortar em meias luas muito finas. Descascar e fatiar grosseiramente e na vertical os dentes de alho. Cortar o pimento em tiras finas, limpando bem as sementes e removendo os veios brancos.
Cobrir o fundo de um tacho com uma boa camada de azeite e levar ao lume forte. Deitar os alhos, o louro, a salsa e a pimenta e deixar fritar ligeiramente. Juntar a cebola e deixar refogar, baixando o lume quando ficar transparente. Juntar o pimento, que deve refogar durante cinco minutos e juntar por fim o tomate o seu sumo. Juntar sal e o vinho. Tapar o tacho e deixar em lume brando durante quinze minutos. A partir daí, mexer bem e desfazer o tomate com a colher a cada dez minutos, durante cerca de uma hora e meia, provando e rectificando o sal sempre que necessário. Se estiver ácida, juntar um pouco de açúcar. Em princípio não será necessário juntar água, mas se a sopa estiver a ficar muito seca, juntar aos poucos alguma água a ferver, rectificando sempre o tempero. Quando estiver pronta, escalfar os ovos no caldo, mantendo o tacho tapado (cerca de dez minutos para ficar bem cozido, entre três e cinco minutos para ficar como na fotografia).
Servir de imediato sobre fatias de pão alentejano duro, cortado muito fininho.

Submerge the tomatoes in boiling water for 2 minutes and in cold water afterwards. Peel them and cut into chunks. Place a sieve over a recepient and remove the seeds, saving the juices for the soup. Peel the onions and cut into very fine half-moons. Peal and cut vertically the garlic cloves. Cut the bell pepper in fine slices, removing seeds and white veins.
Cover the bottom of a pan with olive oil and bring to fire until hot. Slightly fry the garlic, laurel, peppercorns and parsley and add the onion, frying until transparent. Turn the fire to low, add the pepper, letting it fry for 5 minutes, and then the tomatoes and their juices . Season with salt, add the wine, cover the pan with a lid and let it cook for 15 minutes. Then, mix well at every 10 minutes fror about 1 1/2 hours, pressing the tomatoes with a wooden spoon. Keep tasting and rectifying the salt. Add some sugar (1 tbsp max.) if sour. It shouldn't be necessary, but if the soup gets too dry, keep adding some hot water, tasting and seasoning. When ready, poach the eggs in the soup, covering the pan with the lid. It should take 10 minutes for a hard poached egg and 3-5 minuts for a soft one, like in the picture. Serve imediately in a plate or bowl covered with fine slices of stale rustic bread.

Pin it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...