Grid

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Pudim de lagosta (ou lagosta fingida)

Nem tudo o que parece, é. Este prato foi descoberto pela minha mãe há muitos anos. Há trinta, provavelmente. Pelo papel onde a receita foi apontada, ter-lhe-á sido dada por alguma colega de trabalho. Na minha memória, sempre foi prato para dias de festa ou para algum jantar mais especial lá em casa. Foi também uma das primeiras receitas que aprendi a fazer, provavelmente por ser tão fácil. E o resultado, esse, é extraordinário. Como deve ser comida fria, é ideal para o Verão. Numa palavra: perfeita.    


A receita leva apenas três ingredientes: pescada congelada, ovos e tomate em lata. Chama-se pudim de "lagosta" porque o peixe fica com a cor e a consistência daquele marisco. Mas sempre lhe chamámos lagosta fingida. 


Tendo o peixe cozido e lascado, demora pouco mais de dez minutos a fazer. Depois basta levar ao forno, deixar arrefecer, desenformar e servir com maionese, acompanhado por uma boa salada. 



Já não fazia este pudim há uns bons anos. Fi-lo na semana passada para o aniversário do André, que foi passado cá por casa com os pais dele. Como éramos poucos, cortei nas quantidades e, em vez de pescada, usei rascaço, que tem uma carne muito firme e um sabor a mar bastante pronunciado. Ficou óptimo, muito suculento e fresco. Acho que vou voltar a fazê-lo antes dos dias frios, mesmo que seja só para nós. Soube mesmo bem...

********

Pudim de "lagosta"

1 kg de pescada
850 gramas de tomata pelado
8 ovos

Coze-se e lasca-se a pescada. Batem-se os ovos, que se juntam ao tomate, que deve estar limpo de graínhas e bastante espremido. Junta-se a pescada e leva-se ao forno numa forma de chaminé (ou numa de bolo inglês), que terá que estar muito bem untada. Fica no forno a cento e setenta graus durante cerca de uma hora. Desenforma-se depois de frio e leva-se ao frigorifico durante umas horas. Serve-se com maionese.


15 comentários:

  1. já tinha visto receita semelhante mas com este aspeto fiquei mesmo tentado a fazer. Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Gosto desta lagosta ih ih ih
    Obrigada

    ResponderEliminar
  3. A receita da minha mãe leva 2 colheres de farinha de trigo e um pouco de sopa de marisco. Fica divinal!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, e a sopa de marisco é daquela em pó. Junta-se um pouco do pó a gosto quando se estão a misturar todos os ingredientes, assim como a farinha, para ganhar um pouco de consistência.

      Eliminar
  4. Susana, fiquei cheia de curiosidade. Vou fazer:) Depois conto-te como me sai.
    Beijinhos para ti e para os pequeninos
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É óptimo, experimenta. Obrigado! Beijinhos também :)

      Eliminar
  5. Obrigado, Susana...

    Estava na net à procura desta receita, que era um prato típico de uma tia minha, cozinheira de mão cheia. Eu já não fazia esta delícia faz alguns anos também. E o que me levou a querer seguir a tua receita e não outra foi...

    • A tua fotografia, que está espectacular! Parabéns. Além de cozinhar também gosto de fotografar.
    • O teu savoir-faire, que partilhas com Quim Barreiros. Digo, sabes enfeitar a travessa...
    • O teu texto, que é um ingrediente que acrescenta muito à receita também.
    • E a tua dica para se usar rascaço em vez de pescada. Da próxima vou experimentar. ;-)

    Se te apetecer, espreita algumas receitas que eu escrevo por vezes num dos meus blogs. E também os meus álbuns de fotos no feicebuque. Be my guest!...

    Beijim! ;-)
    Giuseppe
    o meu blog
    o meu facebook

    ResponderEliminar
  6. Bem haja Susana!!!
    Procurei tanto esta receita, um dos meus pratos preferidos com que a minha mãe obsequiava a família e amigos em almoços ou jantares no verão, só depois de me ocorrer que um dos "supostos" ingredientes era lagosta é que cheguei aqui. O meu conselho, deixe todas as suas receitas escritas para mais tarde os seus filhos poderem apreciar e passar aos seus, as receitas com que a mãe os deliciava. A minha mãe que era a melhor cozinheira, e anfitriã deste mundo tinha um pequeno defeito, muitas das suas receitas eram decoradas e infelizmente toda essa informação foi perdida por doença degenerativa. Muito grata

    ResponderEliminar
  7. Hi Susana,
    Sorry, must comment in English.
    My love affair with Portuguese food is based on the simplicity of preparation, of good plentiful ingredients, which anybody can afford. Froma pig's feet to its cheeks, from chicken blood, iscas to vinho d'alho, everything has a good purpose. A few days ago my local pastelaria owner and its cook, Paula, put a small plate on my table to taste her pudim de lagosta-make-belief, which I have never seen on any menu, in the 20 years that I have been coming to this country. Your recipe is the most simple one (just as I like it) and absolutely delicious. Thanks and I will scrutinise you site further for the traditional recipes that I cannot find in, or want to compare with, my Maria Lourdes de Modesto.
    Rick

    ResponderEliminar
  8. um dia destes vou fazer, parece-me bem para os dias quentes que aí vêm
    Maria

    ResponderEliminar
  9. Hoje andei a arrumar livros de cozinha da minha mãe e lembrei-me da "lagosta fingida" que ela fazia tão bem e que tão bem me sabia... Procurei a receita e nada . Resolvi fazer uma pesquisa e parei aqui com coração a morrer de saudades.Obrigada , obrigada
    Ana Nunes

    ResponderEliminar

Pin it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...