Grid

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Foi você que pediu... chocolate com chocolate?

A sobremesa que levei para a passagem de ano foi uma das minhas favoritas: bolo de chocolate com mousse de chocolate preto com bolo de chocolate com mousse de chocolate branco e café. Não, não deixei de saber escrever, este é mesmo o melhor nome que lhe posso dar. Da primeira vez que o fiz foi para o Natal de dois mil e oito e tinha três camadas de chocolate (preto, de leite e branco). Visualmente, fica espectacular, mas para o (meu) palato fica um pouco excessivo. Por isso, comecei a fazê-lo só com duas camadas. Desta vez foi com chocolate preto e chocolate branco com café.
  
Não é uma receita rápida, mas ainda assim é muito simples. Eu limito-me a fazer a minha receita de mousse de chocolate várias vezes e com pequenos twists consoante o bolo que queira fazer.  


A minha mousse é muito simples: por cada ovo, vinte e cinco gramas de açúcar, vinte e cinco gramas de manteiga e vinte e cinco gramas de chocolate (ok, aqui faço batota e costumo pôr mais uns quadrados...). Bato as gemas com o açúcar, derreto a manteiga e o chocolate e junto esta mistura às gemas. Bato as claras em castelo (costumo juntar aqui um pouco mais de açúcar para ficarem mais firmes) e envolvo bem o chocolate com as claras. Mais fácil do que isto será difícil...

1) Faço a base de bolo de chocolate. Uma mousse de seis ovos com os restantes ingredientes nas proporções indicadas e com chocolate preto. Juntei duas colheres de sopa de farinha e uma de fermento. Como só tenho uma forma redonda, dividi a massa e levei-a ao forno em duas vezes, de modo a ficar com dois bolos baixos (como leva pouca farinha, a solução de fazer um só bolo e cortá-lo ao meio não é lá grande coisa... been there, done crap, perdão, that... por isso, mais vale demorar um pouco mais...)


2) Faço nova mousse, desta vez com três ovos e também com chocolate preto. Não é imprescindível, mas não faz mal nenhum acrescentar-se duas folhas de gelatina ao chocolate derretido. Reserva-se no frigorífico.

3) Faço uma terceira receita de mousse, igual em tudo à anterior, mas com chocolate branco e com café. Aqui sim, é necessário juntar gelatina - duas ou três folhas é suficiente. É necessário ter cuidado com a quantidade de café: eu tirei um normal na máquina e usei-o na totalidade, o que fez com que a mousse ficasse demasiado líquida. A gelatina corrige o problema, mas afecta o aspecto final do bolo. Meia chávena de café será o ideal. O da fotografia ficou meio irregular porque, uma vez que abusei na quantidade de café,  a mousse teve que solidificar um pouco antes de ir para o bolo.

4) Começo a montar o bolo. Aqui uso um método um bocado arcaico mas que ainda não me falhou. Colo com fita-cola três meias folhas de papel, de modo a fazer uma forma redonda à volta de uma das bases do bolo. É conveniente ficar com o mínimo de folga possível para a mousse não escapar. A ordem será: primeira base, mousse preta, segunda base, mousse branca.


Vai ao frigorífico durante algumas horas. Tira-se o papel, alisa-se o exterior com uma faca e decora-se com chocolate em pó e raspas de chocolate... ou com outra coisa qualquer que ligue bem... 


Para o André é o melhor bolo de chocolate do mundo. Eu não diria tanto, mas é definitivamente um dos meus orgulhos culinários...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pin it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...