Grid

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Semear...

Chegou Fevereiro e com ele a vontade de voltar a prestar atenção ao "jardim". Dezembro e Janeiro são tipicamente meses em que negligencio as minhas varandas, no primeiro porque nunca há tempo, no segundo porque nunca há paciência. Sim, se Dezembro é para mim um dos melhores meses do ano, Janeiro é invariavelmente o meu mês "não", um mês que me deprime até ao âmago. Mas em Fevereiro já se nota que os dias são mais longos, o sol já inunda as varandas, já começam a despontar os primeiros rebentos nos vasos, a nascer timidamente uma ou outra flor - ainda fechadas, claro está - e eu volto a ter vontade de passar a tarde na varanda a aproveitar o sol. Por isso, na semana passada enchi-me de coragem e estive a preparar a terra dos vasos, a arrancar ervas daninhas e a tirar folhas secas e esta semana começámos a semear. A maioria das sementes que tenho são para Março, mas Fevereiro é mês de plantar tomate e beringela. Como está muito frio e um vento inclemente, semeámos dentro de casa, nuns vasinhos improvisados que se revelaram bem catitas. A Cat gosta sempre de me ajudar nestas coisas e foi ela que fez praticamente tudo. No ano passado andava quase tão entusiasmada com a nossa horta na varanda quanto eu e este ano vamos dar um passo em frente, diversificar a produção e plantar quase tudo através de semente. 

O primeiro passo foi pôr alguma terra nos nossos recipientes. Resolvemos experimentar usar caixas de ovos, que parecem ter uma boa profundidade para deixar os rebentos crescer. Como usámos terra de um vaso que já levou outras coisas, foi necessário limpá-la de uma ou outra raiz que tivesse ficado por lá...


Limpa a terra, plantámos as sementes. Duas ou três em cada espaço, enterradas a um centímetro de profundidade. Nada como dedos pequenos e fininhos para o trabalho ficar bem feito.


Plantámos dois "vasos" de tomate-cereja, seis de tomate-chucha "de compra" (ou seja, das sementes que retirámos de uns tomates que comprámos no fim do Verão), seis de tomate-chucha biológico (sementes retiradas de um tomate nascido do nosso tomateiro no ano passado) e duas de beringelas.


Foi tudo devidamente identificado para não haver confusões quando transplantarmos os rebentos. Por fim, é só regar e pôr perto de uma janela. 


Dentro de uma semana ou duas, já devemos ter novidades. 

2 comentários:

  1. Adorei a ideia dos canteiros, nunca fiz um alfobre porque não tinha como o fazer sem gastar dinheiro a comprar os vasos específicos.
    Muito obrigada pela partilha.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Cupcake :) Foi a primeira vez que experimentei. Vou dando nota dos resultados :)

    ResponderEliminar

Pin it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...