Grid

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A tarte dos morangos escondidos

Não tenho tido paciência para muito. As últimas semanas de gravidez estão a roubar-me a energia e como meti na cabeça que vou trabalhar até ao fim, ando completamente exausta. Por isso, poucos projectos, poucos cozinhados, poucos passeios... e só os desafios da Dorie vão alimentando este pobre blogue, que tão ao abandono anda... espero redimir-me durante os meses de licença que aí vêm, isto se o Tiago deixar... pelo menos a cabeça fervilha de ideias, mas quando toca a bebés, o resultado é sempre uma incógnita... 

O desafio da quinzena chama-se Hidden Berry Cream Cheese Torte e é uma tarte (que deveria ter sido uma torta) de queijo creme e requeijão, com uma camada de compota de frutos silvestres entre a massa e o recheio. Fiquei muito entusiasmada com a receita (como não? Frutos vermelhos, requeijão e queijo creme...) e lá arranjei coragem e tempo para a fazer, apesar do caos que foi o fim-de-semana que passou. E foi feita a quatro mãos, já que a Catarina tinha saudades de me ajudar na cozinha, onde tenho passado tão pouco tempo... e até ficou bonita, mas...


... foi de longe o desafio que pior me correu até hoje. O que é que correu mal? A única alteração que fiz foi na compota. Não tinha nenhuma de frutos silvestres, então usei doce de morango. E foi precisamente aí que falhei. Teria sido um bom substituto se eu tivesse cortado mais no açúcar da receita original. Como não cortei, a tarte ficou doce demais para o meu gosto, um problema que temos tentado ultrapassar comendo a tarte fresca. Acontece que esta base não fica muito bem no frigorífico, ficando dura e perdendo o seu toque areado, em parte porque ficou espessa demais. Como se não bastasse, a minha falta de paciência fez-me passar a tarte para o prato antes de arrefecer convenientemente... e é claro que se partiu um bocado.

Mas vamos por partes. A massa em si é boa e saborosa. É uma massa areada feita com gemas e um toque de baunilha. Como não tenho processador, misturei a farinha, o açúcar e a manteiga na picadora, o que é um pouco mais trabalhoso, mas nada de transcendente. Depois contei com a ajuda da Cat para espalhar a base pela tarteira, mas deixámo-la demasiado espessa. Para além disso, vai duas vezes ao forno (tipo biscotti), antes e depois de levar o recheio, o que a torna necessariamente mais rija. 


Saindo do forno, coloca-se uma camada de doce e, por cima, o recheio feito com requeijão, queijo creme, ovos e canela.


Volta ao forno durante uns bons quarenta e cinco minutos. Como já disse, não esperei que arrefecesse para passá-la para o prato de servir, então tive que arranjar maneira de disfarçar o facto de se ter partido nalguns sítios. Qual a melhor maneira? Morangos frescos e açúcar em pó...


E assim ficou. Não se pode dizer que esteja um desastre e a receita tem potencial. Mas para a próxima vou fazê-la de maneira diferente. Vou usar compota de frutos silvestres comme il faut; vou cortar no açúcar e, sobretudo, vou fazer a base com bolachas e manteiga, que não só fica bem a qualquer temperatura como é também a minha favorita.

Bem, espero arranjar coragem para participar em mais um desafio antes do Tiago nascer... isto se ele não me fizer uma surpresa na próxima semana.

*****


Hidden Berry Cream Cheese Torte, Dorie Greenspan, "Baking with Dorie"

Para a base

1¾ chávenas (cups) de farinha de trigo
Meia chávena de açúcar
¼ colher de chá de sal
12 colheres de sopa de manteiga fria
2 gemas grandes
1 colher de chá de extracto de baunilha

Colocar a farinha, o açúcar e o sal numa picadora (mais fácil se se tiver um processador, que não é o meu caso), acrescentar os pedaços de manteiga e misturar até ficar com a consistência de areia grossa. Misturar as gemas e a baunilha com um garfo, juntar à massa anterior e picar até que a massa fique em grumos, mas sem que se forme uma bola. Eu tive que fazer esta fase em três vezes, a minha picadora é pequena...

Forrar uma tarteira de aro amovível com papel vegetal, colocar o areado e calcar bem até ficar uma base de tarte com cerca de três centímetros de altura. Quanto mais fina ficar a massa, melhor. Levar ao frigorífico durante trinta minutos. Cobrir a massa com papel de alumínio barrado com manteiga, colocar umas pedrinhas ou feijões e levar a forno pré-aquecido a cento e noventa graus durante vinte minutos. Retirar o papel e deixar dourar. Retirar do forno e deixar arrefecer.

Para o Recheio

Meia chávena de compota espessa de morangos ou frutos vermelhos
Uma embalagem de queijo creme
Um requeijão
¾ de chávena de açúcar (recomendo um pouco menos)
¼ de colher de chá de sal
Uma pitada de canela
Uma pitada de noz moscada
Dois ovos
Açúcar em pó

Misturar a compota e espalhá-la sobre a parte inferior da base. Amolecer o queijo creme no micro-ondas, juntar e bater bem com a batedeira até a mistura estar suave e acetinada. Adicionar o sal, o açúcar e as especiarias e voltar a bater, adicionando os ovos inteiros. Deitar a mistura sobre a compota e levar ao forno a cento e setenta e cinco graus até o recheio estar inchado (cerca de quarenta e cinco minutos). Deixar arrefecer bem antes de desenformar e refrigerar. Enfeitar com morangos ou frutos silvestres e polvilhar com açúcar em pó antes de servir.

10 comentários:

  1. Susana, ficou linda e apetitosa, não sejas injusta contigo própria.
    O doce de frutos vermelhos é que realmente tem de ser com pouco açúcar pois a própria receita afigurasse muito doce.
    Quanto à chegada do Tiago desejo que corra tudo da melhor forma. Beijinhos e parabéns por mais um rebento.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  2. Olá Susana,

    Ficou muito linda a tua tarte!

    vais ter um Tiago? Parabens, eu tambem tenho um, mas se o teu for como o meu tenho uma má notícia para ti, depois de ele nascer o pouco tempo que agora tens, já não vai existir. A nossa vida muda completamente, eu antigamente tinha tempo para tudo e ainda sobrava, hoje em dia não. Não penses que com isto quero dizer que era melhor antes, nem pensar, o Tiago tem 4 anos e já nem me consigo lembrar de como era sem ele, porque a nossa vida com ele é mesmo muito boa, partilhamos muitos momentos de carinho, ternura, amor puro, é maravilhoso ser mãe. Desejo-te muita sorte para o parto, uma hora pequenina.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado!

      Então, e é verdade que os Tiagos são todos pestes? É o que oiço mais...

      Quanto à falta de tempo, eu é que tenho uma boa notícia para ti :) já tenho uma Catarina com 6 (que é quase uma Dorie, já que faz comigo a maioria das receitas) e é a partir dos 4 que voltamos a ter novamente mais tempo para nós... por isso, apesar de eu ir voltar a passar pela falta de tempo, tive 2 anos de tréguas, por isso também vais notar muita diferença na tua qualidade de vida a partir daqui... :)

      Um beijinho!

      Eliminar
  3. Susana
    Uns escondidos e outros a espreitar, todos eles deliciosos
    (e não venhas dizer que não foi uma boa participação)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Suzana
    Obrigada pela tua visita no meu cantinho. Sempre te vejo pelo facebook na Dorie, mas nunca tinha vindo a este teu blog tão gostoso...Adorei!!!! Ah, também já fui nos outros dois e fiquei encantada tanto com o que escreves como o de fotos e dicas sobre Portugal..Como pretendo ir a Lisboa em Setembro já vou ler tudo o que dizes e aproveitar....
    Quanto a tarte, nem se nota o partido ( o mesmo aconteceu com a minha, foi a pressa), mas ficou muito bonita. Agora aquelas mãozinhas lindas da Catarina é a coisa mais linda!!.. supera a torta. Para o caso do Tiago ficar com muito pressa, já estou te desejando uma boa e felisissima hora.Beijinhos da Gina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Gina. Se precisares de mais dicas sobre Lisboa avisa :)

      Eliminar
  5. Susana,
    Ficou bem bonita a tua tarte, percalços à parte. Felicidades para estes momentos que vives.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Pin it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...