Google Website Translator Gadget

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Um bolo arco-íris para a menina dos sete anos


Só tinha feito uma vez um bolo de anos para a Catarina. Foi no seu primeiro aniversário. No segundo andava cheia de trabalho (e com pouca paciência) e tive que comprá-lo já feito e a partir do terceiro o Pocoyo, as Princesas e as Winx levaram a melhor nos seus sonhos, um pouco contra o meu desejo. Mas este ano a Catarina quis que fosse eu a fazer o bolo. Fiquei mesmo feliz. E soube logo o que iria fazer: um bolo arco-íris. Ela adora creme de manteiga, por isso não poderia ser com um recheio diferente. E usei-o também para a cobertura. Apesar de achar fabuloso o que se faz com a pasta de açúcar, um bolo totalmente coberto com ela fica, na minha opinião, demasiado doce. Por isso (e porque me falta técnica para fazer melhor) usei-a apenas para fazer as decorações do bolo, com a ajuda de uns cortadores de bolachas.

Na sexta pus mãos à obra (não é totalmente verdade, já tinha adiantado um pouco as decorações durante a semana). Comecei por fazer uma base de bolo com a proporção de cinquenta gramas de farinha, vinte e cinco de manteiga e vinte e cinco de açúcar por cada ovo. Ora, uma base de seis ovos deu-me apenas para duas placas e quando experimentei a primeira, achei que sabia muito a ovo. Para a segunda dose, fiz uma proporção de setenta e cinco gramas de farinha, trinta e cinco gramas de açúcar e trinta de manteiga por cada ovo. Ficou perfeito. Deu-me para três placas de cerca de um centímetro de altura.

Para obter as cores, basta dividir a massa e juntar umas gotas de corante alimentar, aos poucos, até obter a cor desejada. Fiz cinco placas: uma amarela, sem corante, que foi a placa de teste para ver a quantidade de massa que iria precisar. Com um pouco de corante vermelho fiz uma placa laranja; com bastante mais quantidade de vermelho fiz rosa escuro; com algum azul, fiz a verde; e com vermelho e azul, fiz a roxa. Como só tenho uma forma rectangular de cada tamanho, tive que usar sempre a mesma, o que tornou a tarefa um pouco mais demorada. De qualquer modo, cada placa demora cerca de dez minutos no forno, por isso também não é propriamente exasperante.

Deixei as camadas no frigorífico durante a noite, bem embrulhadas e alumínio, e no Sábado de manhã fiz o creme de manteiga, para estar bem fresquinho para a festa da tarde. Tive que fazer bastante quantidade para poder barrar as várias placas e cobrir o bolo: trezentas e setenta e cinco gramas de manteiga para setecentas de açúcar em pó. Um bolinho nada calórico...


O processo é simples: barra-se uma placa com uma camada relativamente fina de manteiga, coloca-se outra placa por cima, barra-se esta placa e repete-se o processo até à ultima placa. Se as placas não estiverem totalmente uniformes em altura (o meu forno faz os bolos crescerem ligeiramente mais de um lado), basta tentar compensar a diferença de alturas com a montagem das camadas, corrigindo com um pouco mais de creme nas extremidades, se estas estiverem mais baixas. Depois de montado, apara-se os lados do bolo até ficar direito e calca-se bem os lados para minimizar as migalhas. Por fim, cobre-se bem os lados e o topo com o restante creme, reservando algum que sobre para complementar a decoração.


Por fim, é só decorar.


Mantive a surpresa até ao fim. Imaginem a cara da Cat e dos amigos quando cortei o bolo e viram o arco-íris...


Mas o mais importante foi a Catarina ter gostado. Segundo ela, foi uma das melhores partes do seu dia de anos. E isso deixa-me tão feliz!

*****

Bolo arco-íris

Para uma camada, numa forma rectangular de 20x30 centímetros

Dois ovos
Setenta gramas de açúcar
Sessenta gramas de manteiga
Uma colher de café de extracto de baunilha (opcional)
Cento e cinquenta gramas de farinha
Uma colher de chá de fermento
Um golpe de leite, para tornar a massa mais fácil de bater  

Pré-aquecer o forno a cento e oitenta graus. Bater os ovos inteiros com o açúcar, juntar a manteiga e o extracto de baunilha e bater mais um pouco. Juntar a farinha e o fermento e envolver bem. Se a massa ficar muito espessa, juntar um golpe de leite e bater mais um pouco, de modo a ser fácil cobrir toda a forma. Juntar o corante aos poucos, até obter a cor desejada. Deitar na forma muito bem untada com manteiga e polvilhada com farinha. Levar ao forno durante cerca de dez minutos ou até espetar com um palito e este sair seco. 

Pode fazer-se a receita para várias camadas. É importante pesar a totalidade da massa e dividi-la depois em partes mais ou menos com o mesmo peso, para as camadas ficarem uniformes. Fiz esta receita com seis ovos e respectivas proporções dos restantes ingredientes e deu-me sensivelmente um quilo e cem gramas de massa para três placas, pelo que cada placa tinha cerca de 370 gramas de massa. Deve dividir-se a massa antes de juntar o corante.

Para o creme de manteiga

Trezentas gramas de manteiga à temperatura ambiente
Setecentas gramas de açúcar em pó
Três a quatro colheres de sopa de leite

Bater a manteiga até ficar fofa. Juntar o açúcar e um pouco de leite para ajudar a misturar. Bater bem, juntar o leite aos poucos de modo a que o creme fique suave, mas sem talhar. Pode juntar-se também corante ao creme, mas eu preferi deixá-lo branco.

Para as decorações

Pasta de açúcar de cor pérola
Corantes alimentares

ou

Pasta de açúcar nas cores desejadas

Trabalhar a pasta em pedaços pequenos, sensivelmente do tamanho de uma bola de ténis de mesa. Amassá-la entre as mãos e esticar com um rolo da massa, polvilhando a superfície com um pouco de açúcar em pó. Se se usar a pasta pérola, deitar algumas gotas de corante com a massa aberta, dobrar bem as pontas e amassar a massa nas mãos até a cor estar uniforme. Se ficar muito escura, juntar mais massa; se ficar muito clara, juntar mais corante. 
Esticar a pasta, cortar com a forma desejada e decorar o bolo.

Pode fazer-se os enfeites com antecedência, a pasta dura até um ano se estiver guardada num recipiente hermeticamente fechado, num local fresco e seco. 

6 comentários:

  1. que espectacular que ficou.... maravilha. E ela ter gostado já vale todo o trabalho, não é?
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Mafalda! É verdade, faz-nos sentir mesmo bem :)

      Eliminar
  2. Suzana.
    Parabéns para a Catarina, que deve ter ficado muito feliz com este lindo bolo.
    Está uma maravilha e recheado de muito amor, com certeza.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. O bolo ficou lindissimo exteriormente mas, o recheio... meu Deus... que verdadeira delicia.
    Kiss, Susana

    ResponderEliminar

Pin it

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...