Grid

sábado, 29 de março de 2014

Caldo de Peixe


Se há coisa que gosto de fazer é ir ao mercado. Se pudesse, fá-lo-ia diariamente e comeria apenas peixe, legumes e fruta absolutamente frescos. Infelizmente esse não é um luxo compatível com os meus horários de trabalho, pelo que tenho que me contentar em comprar peixe em maior quantidade e congelá-lo. Ultimamente tenho optado por cortar em filetes muitos dos peixes que compro, o que me deixa com cabeças, espinhas e alguns pedaços de bom peixe vítimas da minha técnica ainda em aperfeiçoamento. Muitas vezes, limito-me a cozer esses 'restos' para fazer uma massa ou um arroz. Porém, vi uma vez o Henrique Sá Pessoa (aqui) a fazer um caldo de salmonete que converteu numa belíssima sopa e resolvi replicar.


Digo-vos: este caldo de peixe faz uma base absolutamente fantástica para massas, para sopas, para arroz. E congela na perfeição. Tal como faço com o molho de tomate, congelo-o em formas de muffin, de cerca de cem mililitros, retiro-os das formas e conservo num saco até três meses.


De facto, não há limites para o que se pode fazer com os alimentos...

*****

Caldo de peixe

Um quilo e meio de espinhas de peixe, incluindo cabeças
Três tomates
Uma cenoura grande
Duas cebolas médias
Oito dentes de alho 
Duas folhas de louro
Azeite
Sal
Pimenta em grão
2,5 decilitros de vinho branco
Um litro de água quente

Cortar as espinhas dos peixes em pedaços e as cabeças em metades. Fritar espinhas e cabeças num tacho grande, com o fundo coberto de azeite. Entretanto, partir a cebola em meias luas finas, laminar os alhos e cortar a cenoura em rodelas, juntando ao peixe. Adicionar o louro e a pimenta em grão e temperar com sal. Juntar o vinho branco e o tomate em pedaços (pode ir com pele e grainhas), deixar ferver durante uns minutos, e juntar a água. Rectificar os temperos e deixar cozinhar durante cerca de uma hora. Triturar no liquidificador até ficar em creme. Passar por um passador de rede, deitando fora os resíduos que forem ficando. Passar novamente por um passador, desta vez com a rede um pouco mais fina, e voltar a rejeitar os resíduos. Provar para ver se não ficou com resíduos de espinha. Deve ficar um creme aveludado. Levar novamente ao lume, deixando reduzir um pouco. Usar como base de sopa de peixe, massadas, arroz de peixe ou em qualquer prato que necessite de caldo de peixe. Pode congelar-se em doses de 100 mililitros, mantendo-se até 3 meses no congelador e usando conforme for necessário.

1 comentário:

  1. Que lindas imagens e realmente aqui em casa também fazemos e congelamos, a receita parece ser bem boa.

    beijinhos

    ResponderEliminar

Pin it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...