Grid

domingo, 20 de março de 2011

Do pequeno se faz grande

De uma maneira geral, as minhas ambições não são materiais. Há, porém, uma coisa que ambiciono ter desde pequena: um jardim. Talvez um dia seja possível. Enquanto não é, dou-me por satisfeita por ter três varandas, estreitas é certo, que podiam estar vazias, é certo, mas que estão cheias de plantas, ervas aromáticas e flores, que começam agora a despertar para a primavera. A do meu quarto é a mais pequena das três, mas abdiquei de alguns vasos em prol de um espaço onde possa estar sentada a ler, a escrever e a ouvir os pássaros. É onde estou agora, abraçada pelo calor ameno deste dia magnífico, que por acaso é o último dia de inverno. Ninguém diria...

É um dos meus sítios favoritos cá em casa. Este ano fui um pouco negligente: para a semana vou ter que tirar umas horas para mudar a terra, adubá-la, trazer umas plantas novas do horto e plantar algumas sementes, algo que costumo fazer no final de Fevereiro. Também vou ter que pintar a mesa e as cadeiras, que estão a acusar os maus tratos da chuva e do vento dos últimos meses.

Ainda assim, não me posso queixar. Para jardim improvisado, acho que se está muito bem aqui.

  

sábado, 19 de março de 2011

Uma pequena semente

No dia doze de Março de dois mil e onze foi plantada uma pequena semente. Como portuguesa, como cidadã, como mãe, como filha, como trabalhadora, não podia deixar de lá estar. Foi apartidário. Foi pacífico. Foi ordeiro. Foi construtivo. Foi um abanão. Foi diferente. Foi muito bom.

O mote pode ter sido a precaridade no trabalho, a actual situação por que o nosso país está a passar, o descontentamento com a classe política. Ouvi várias ideias, umas que subscrevo, outras que rejeito. Vi uma iniciativa destas a nascer da sociedade civil e a ser abraçada por gente de todas as idades, credos e classes, vi famílias inteiras unidas a este gesto, vi pessoas sem trabalho, pessoas que o têm, pessoas descontentes e pessoas que estão bem com a sua vida, como é o meu caso, mas que lá por estarem bem não se conformam com o facto de quem está ao lado delas não o esteja. Para mim, foi o início da mudança, uma pequena semente plantada num terreno que tem estado ressequido, mas que tem todas as condições para ser fértil.

O que se está a passar no nosso país é da responsabilidade de todos, como defendo aqui. O contributo de uns é maior do que o dos outros, para o bem e para o mal, mas acredito que todos somos responsáveis e, como tal, todos temos que contribuir para a solução. Por isso fui. 

Neste sítio, deixo apenas as imagens e a nota de que o que aconteceu no dia doze de Março foi algo que me encheu de esperança.

















quarta-feira, 9 de março de 2011

Religião e gastroenterite

O último fim-de-semana acabou mal e bem ao mesmo tempo. Literalmente. Mal porque acabou com uma gastroenterite de caixão à cova. Bem porque, ainda assim, consegui retirar alguma satisfação do programa que o André planeou para Domingo à noite: ir ao teatro. Infelizmente podem contar-se pelos dedos a vezes que fui ao teatro desde que a Catarina nasceu e que saí de Almada, onde se faz do melhor teatro que anda por aí e onde, ao longo de tantas e tantas tardes e noites, aprendi a amar de alma e coração esta forma suprema de entrega do artista ao seu público. Por isso, quando a meio da semana fui surpreendida por estes bilhetes, a felicidade foi mais que muita.


Voltando a Domingo. Chegámos ao Chiado ainda no final do dia, já que quis aproveitar a última hora de luz e o início da noite para passear por ali e tirar umas fotografias. No entanto fim-de-semana de Carnaval é sempre fim-de-semana de chuva, pelo que mais cedo do que tarde fomos "obrigados" a abrigar-nos no Café no Chiado, que já estava a servir o jantar. Foi uma agradável surpresa. O espaço é daqueles que me fazem sentir em casa, bem decorado e com as paredes repletas de livros e mais livros, dos verdadeiros e dos outros. Se tivesse um restaurante ou um café seria algo assim...


Um ambiente calmo, comida boa e despretensiosa, uma carta de vinhos razoável (e com meias garrafas de vinho decente!) e um serviço muito simpático. É claro que se eu tivesse ouvido o meu estômago, que já estava um pouco queixoso desde a hora do almoço, não teria comido caril - que estava óptimo - nem bebido um José de Sousa - o de 2007 está especialmente bom -, que tiveram um triste fim menos de uma hora depois. Enfim...

A peça escolhida pelo André foi A Bíblia: Toda a Palavra de Deus (d´uma assentada), pela Companhia Teatral do ChiadoGostei mas não adorei a peça. Foi divertido, sem dúvida, mas achei que o humor podia ser um pouco mais refinado. É claro que nessa altura eu estava a arder em febre, o que tornou muito difícil apreciar devidamente o momento... Ainda assim, acho que aquele trio funciona muito bem, com uma dinâmica espantosa, e é notável que consiga reter o interesse do público durante quase três horas. E é sempre divertido ver o André a encolher-se na cadeira quando começam a seleccionar pessoas para ir ao palco...

Apesar dos pesares, foi uma noite de Domingo bem passada na melhor companhia de todas. Muito boa por ser diferente e melhor ainda por ter sido uma surpresa inesperada...

sexta-feira, 4 de março de 2011

Renascer

Os sete graus que os termómetros da rua marcam de manhã cedo quando vou para o trabalho lembram-me que ainda agora entrámos em Março e que os dias da semana passada foram cartas fora do baralho. Afinal, ainda é Inverno. No entanto, a natureza já reiniciou o seu ciclo, as plantas enchem-se de folhas novas, já há azedas nas bermas da estrada e os pássaros e insectos começam com as suas desenfreadas danças de sedução. Os dias são mais longos, já não é noite cerrada quando tomo o pequeno-almoço e hoje ainda vi o sol a esconder-se quando regressava a casa. 

Eu gosto do Inverno, mas entre meados de Janeiro e meados de Fevereiro sinto sempre que a minha energia se desvanece, independentemente dos meus esforços para que assim não seja. É um (longo) mês em que me sinto triste por nada e cansada por coisa alguma. Mas sei que tudo vai ficar bem outra vez quando os troncos nus das amendoeiras começam a vestir-se de branco para dar as boas vindas à Primavera. 

Pin it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...